E agora, coelho?

O dia iniciou um tanto mais triste com a notícia de cancelamento do Shivaneris em 2016, o nosso festival de Páscoa. A produção redigiu uma nota, a seguir na íntegra:


shivaneris

Comunicado de Cancelamento

É com muita tristeza que o crew Shivaneris vem informar a todos os nossos amigos que a edição de 2016 de nosso festival está cancelada. Não medimos esforços para levar em frente este projeto que sempre foi um sonho nosso mas devido a tantas adversidades nós teremos de adiar este sonho para o próximo ano.

Estamos passando por uma fase econômica extremamente delicada no Brasil, aliado ao crescente número de eventos um tanto quanto incondizente com a realidade de nosso mercado e calendário, especialmente no mês de nossa celebração nos forçando cada vez mais a sacrificar tudo o que sempre lutamos para conquistar e oferecer para nosso público. Não vamos fazer um festival só por fazer, isso não nos representa! Com isso esperamos que os núcleos se organizem mais, respeitem um calendário, deem tempo ao público para respirar, estamos sufocando uma das cenas mais bonitas do Brasil onde existe muito amor envolvido, acreditem, estamos fazendo isso pensando no publico em primeiro lugar.

Por fim agradecemos de coração a todos os amigos que sempre nos apoiaram e frisamos que isto não é um fim, é um parada estratégica para planejar e conceber um festival a altura dos grandes festivais mundiais na páscoa de 2017 no dia 16 de abril, com toda a estrutura que o público brasileiro merece e está carente em receber. Nossa missão sempre foi trazer algo a mais para a cena e continuaremos a trabalhar com esta diretriz, o trance é nossa vida e jamais deixaríamos de acreditar que sempre podemos evoluir dentro dele.

Convites antecipados:

Aos amigos que compraram os convites antecipados nós pedimos nossas sinceras desculpas e todas as compras que foram feitas via cartão de crédito e débito serão estornadas e o dinheiro retornará para a conta. Para convites comprados via boleto nós faremos o depósito em conta, entraremos em contato com todos via email cadastrado na compra.

Obrigado a todos pela compreensão, em 2017 estaremos juntos novamente. ❤


Tal acontecimento nos deixa, no mínimo, reflexivos.

Percebemos que o fenômeno do excesso de festas – nem entraremos no mérito da qualidade das celebrações, mas tão somente a quantidade delas – e o atropelo de datas já divulgadas nos meios (e por tantas vezes sacramentadas no calendário nacional, como é o caso do Shivaneris) não são realidades isoladas de regiões A ou B, mas se fazem presente em todo canto que a cultura trancer se instala. Por que esse desentendimento entre organizações que muitas vezes vimos se estapeando na disputa nem sempre limpa pelo público que (pasmem!) nem sempre é o mesmo?

A simples menção de assembleia entre organizadores se torna antecipadamente uma “exposição das MINHAS datas para que vocês se encaixem nelas”, “uma chance de EU expor as metas e objetivos do MEU núcleo para que vocês as aceitem” ou até, indo além, “uma boa chance de apresentar as MINHAS regras”. Por quê? Até quando será assim?

É tempo de repensar as posturas de todos os envolvidos (incluindo público pagante) na construção desse bem maior que é uma cena musical profissionalizada, sólida em todos os sentidos e não somente financeiramente estável como tantos insistem em enxergar como única prioridade, para que esse paradigma egoístico, mesquinho, extremamente individualista e raso seja alterado permanentemente para uma realidade amistosa em que os envolvidos, mesmo não amando o que o outro faz ou oferece artisticamente, se respeitem e consigam enxergar-se como figuras competentes, capazes de colaborar do seu jeito na estruturação permanente de uma coletividade harmoniosa e próspera.

Sejamos agentes da mudança!

Anúncios

Uma consideração sobre “E agora, coelho?”

  1. Rapaze…. é o segundo ou terceiro festival que vejo “colocando a questão de calendário” como um problema, ou seja muitas festas… Fica a dica! O litoral de Santa Catarina não possui um festival durante o ANO TODO! Isso mesmo, não há um FESTIVAL TRANCE no Litoral Catarinense… só a Revolution na serra com outra proposta.
    Como apreciador da cena, ficaria enormemente grato em ter um grande vento no quintal de casa, visto que diversos TOP, como Ressonar, UP entre demais, são uma fortuna no fim das contas!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s