Fotografia Sonora

sonora 02A câmera não faz diferença nenhuma. Todas elas gravam o que você está vendo. Mas você precisa ver!

– Ernst Haas, fotojornalista austríaco

Cristiane Vieira é Sonora Satya, merecido expoente da arte fotográfica de festas e festivais de música eletrônica no Brasil e no mundo. Natural do Paraná, filha de cearense arretado encantado por uma catarinense, viveu parte da infância na capital Curitiba, alguns anos em Fortaleza, experimentou Toronto (no Canadá) e se estabeleceu em Florianópolis. Autodidata assumida, amante das artes em geral, apaixonada por viagens e tudo mais que envolve uma boa caminhada; criativa incansável, despeja sua visão característica em fotos landscape, nightscape e astrofotografias absurdas. Uma delas você com certeza já apreciou por aí.

Os APRECIADORES DE MÚSICA ELETRÔNICA precisavam conhecer um pouco mais dessa figura de olhos incrivelmente sensíveis e sorriso largo, por isso fizemos algumas perguntas a ela.

Foto: Sonora Satya.
Foto: Sonora Satya.

A.M.E. – Cris, de onde vem tanto talento para fotografar?
SONORA: Chamar de talento eu não me arrisco, eu só faço o que meu coração manda, ele quem fala e eu faço! Mas meu gosto pela fotografia vem da minha mãe que sempre gostou muito mas nunca se tornou fotógrafa e não desenvolveu esse dom por questões financeiras na época, apesar de ser uma artista: pinta quadros, faz artesanato e cozinha brilhantemente como meu pai também cozinhava. Me sinto abençoada por sofrer essa influência direta dos meus pais e segura, pois sempre tive apoio pra fazer o que eu tivesse vontade Confesso que nada é fácil e se fosse não teria a menor graça.

A.M.E. – Como aconteceram as suas primeiras experiências fotográficas?
SONORA: Se chamar de primeira experiência fotográfica: quando me conheci por gente e passei a admirar fotografias nas revistas, especialmente depois que ganhei minha primeira National Geographic e nem sabia ler ainda, então as fotos é que me chamavam atenção. As revistas de moda também. Eu tinha 5 anos e me lembro como se fosse hoje quando meu padrinho vendia livros e revistas e às vezes me dava algumas. Lembro que as folheava e procurava cenários parecidos pra ficar comparando, mas nunca imaginaria em mil anos que eu me tornaria fotógrafa. Foi então no Canadá que comecei a levar a coisa a sério e olhar pra esse novo horizonte. Recebi apoio de muitos amigos.
Os anos passaram, eu adorava usar as câmeras dos meus amigos e as experimentava. Na verdade não consigo ver uma primeira experiência fotográfica, tenho várias primeiras experiências porque cada uma é um novo desafio e um aprendizado!

Foto: Sonora Satya.
Fotos: Sonora Satya.

A.M.E. – A música eletrônica surgiu na sua vida como?
SONORA: Eu diria que a música sempre esteve aqui desde os tempos de “poperô”. Eu gravava fitas, recortava, montava músicas, gravava CDs e dava pros amigos, sempre com seleções escolhidas com muito carinho. Amo muitos estilos musicais e acho que por isso me apaixonei pela música eletrônica cheia de elementos e muito alto astral. Em 2002 foi a primeira vez que fui a uma rave e adorei [risos]. Cores, galera divertida… Eu amo fazer amigos e nas festas é sempre uma ótima oportunidade! Sempre trabalhei na ideia de aprender a tocar sem ter meu próprio equipamento, sempre pegando sobra de tempo com os amigos pra poder aprender pois não tinha equipamento e nem grana pra comprar. Foi então que em 2005 me joguei pro Canadá para trampar e comprar os equipamentos de som… Mas isso já é outra historia. Sim, aprendi a tocar e gosto muito de tocar Full On Morning, Goa, Chill Out e Progressive, mas old school! Sempre que tenho um tempo, quase que escasso, dou uma praticada e desfruto muito desse momento. Música é vida! Também tive o prazer de tocar em algumas festas e festivais e fui muito bem recebida, acho que a galera curtiu.

A.M.E. – Como foi criado o nome Sonora Satya?
SONORA: Sonora vem do meu amor à música que já vem de família. Também sou DJ, apesar de não ter me direcionado muito ultimamente pela falta de tempo, mas a música me mantém viva. Meu querido pai que já partiu para um plano elevado foi quem me deu essa veia musical. Satya vem do sânscrito que significa “verdade”, a “verdade absoluta”, a luz interior, é a sua própria consciência manifestada nessa verdade que vem das experiências e ensinamentos que passamos através do Deus que habita dentro de nós.

Fotos: Sonora Satya.
Fotos: Sonora Satya.

A.M.E. – Momentos inesquecíveis da Sonora fotografando e/ou vivendo algum festival ou festinha…
SONORA: Ah!! Eu ficaria a vida toda aqui falando de vários momentos inesquecíveis e especiais, mas acho que um resumo de todos eles são os momentos em que eu choro. É muito sentimento quando eu estou fotografando então choro sim, lindamente, nem pelo fato de ter feito uma foto da qual eu gostasse mas pelo momento em si! É uma nuvem linda de amor e de beleza do ser, sejam pessoas fotografadas, animais, paisagens… É inexplicável, mas absolutamente passível de entendimento por cada um que sente o mesmo que eu.

Fotos: Sonora Satya.

A.M.E. – Fotografar o movimento lhe agrada mais que as cenas estáticas? Quais os desafios desses dois tipos de fotografia?
SONORA: Difícil responder [risos]. É como um chamado que toca meu coração então a partir disso eu faço a fotografia, mas como eu gosto de fotografar tudo [risos]… Se tocar minha alma é lá que vou estar! Amo demais fotografar… Só amo!
Desafio é todo dia e cada tipo de fotografia é uma especialidade diferente, tanto em olhar, técnica e características do tipo de objeto a ser fotografado. Exige percepção visual e conhecimento técnico para se chegar na mensagem desejada. Congelar movimentos de uma forma rápida no modo manual é apuro muitas vezes porque tem muita coisa acontecendo ao mesmo tempo, mas nas fotos estáticas há o desafio de obter uma perfeita fotometria mediante aos contrastes da paisagem, etc… Uma boa composição também vem dos estudos e experiencias pessoais, do conhecimento adquirido diretamente e indiretamente observando cada trabalho como sendo único, mas sempre servindo de apoio para os próximos. Quanto mais se aprende, mais aprendizados são necessários. Fotografia é um caminho lindo e sem volta, apaixonante e é onde me encontro da forma mais pura e respeitosa. E penso que primeiro devemos fotografar com o coração.

A.M.E. – Quais os planos para o futuro?
SONORA: Não curto fazer planos! Muitas vezes deixo minhas decisões pra última hora que acaba sendo a hora certa pois penso que o que tiver que ser será, então pra que planos? Pra que a pressa?! Vamos aproveitar a viagem e contemplar o que nos foi oferecido em troca de ficarmos por aqui pra evoluirmos. Viver um dia de cada vez pode ser o plano do Agora.

A.M.E. – A próxima parada da Sonora será em…
SONORA: Vou trabalhar no Aurora na Bahia- 19/07 e em seguida o Ozora na Hungria. Aí o resto da caminhada os ventos me levam.

Fotos: Sonora Satya.

A.M.E. – O que te inspira?
SONORA: O Amor, foi ele quem fez tudo brotar dentro de mim!
Hoje tenho uma lista de muitos fotógrafos, pintores, membros da minha família e público que me inspiram demais. Não conseguiria citar todos porque cada pessoa que conheço e cada um que me ajuda direta ou indiretamente faz parte da minha vida em alguma etapa, e esse mix é o que traz minhas experiências pessoais pra dentro do que eu fotografo.

Foto: Sonora Satya.
Foto: Sonora Satya.

 


Foto destacada: Ricky Satya.

 

Anúncios

Uma opinião sobre “Fotografia Sonora”

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s